EIXOS E ATIVIDADES

O projeto organiza-se em três eixos prioritários – conhecimento, capacitação e comunicação – articulados de acordo com uma abordagem estratégica coletiva e orientada para a valorização do conjunto dos territórios das Reservas da Biosfera (RB), entendidos como laboratórios vivos de sustentabilidade e modelos da Agenda 2030 e dos seus ODS, visando promover uma maior visibilidade nacional e internacional, e dinamizar um plano de capacitação inovador, abrangente e dirigido à qualidade de vida e prosperidade das comunidades. 

CONHECIMENTO
o conhecimento como ferramenta de transformação social

  • Criação de novas dinâmicas de investigação interdisciplinar (ciências da vida, ciências sociais e humanidades);

  • Disseminação e promoção das RB em ambiente de ciência aberta;

  • Valorização integrada do capital natural através do mapeamento dos serviços dos ecossistemas;

  • Recolha sistemática e registo das memórias das comunidades e sua relação com as atividades associadas ao território.

O racional estratégico dos Planos de Desenvolvimento Sustentável das RB, entendidos como instrumentos de reforço e inovação das estratégias locais de desenvolvimento sustentável, estruturam-se com base nas iniciativas relacionadas com o mapeamento, priorização e valoração dos serviços dos ecossistemas, numa aposta no conhecimento, com o apoio do sistema científico e tecnológico nacional e redes internacionais, incorporando o saber transmitido pelas comunidades.

As iniciativas relacionadas com o registo e valorização das memórias das comunidades e dos territórios, contarão com a participação ativa dos atores locais, e serão fundamentais para fomentar uma maior apropriação identitária - os territórios e os seus recursos -, e gerar oportunidades para a economia local. A valorização da identidade e dos recursos endógenos, numa leitura harmoniosa e sinérgica do Homem (cultura) e da Natureza, garante a promoção efetiva dos valores percecionados pelas comunidades e pelos agentes económicos.

CAPACITAÇÃO
a formação como ferramenta de capacitação
  • Ajustada aos interesses dos diferentes atores (gestores, promotores da economia local);

  • Orientada para a expetativa e interesse das comunidades e entidades locais;

  • Estratégica na promoção do empreendorismo de base local e de apoio ao desenvolvimento integrado dos territórios;

  • Demonstrativa no desenvolvimento e na monitorização de ações-piloto de economia e comércio local e promoção turística das RB.

As iniciativas associadas ao eixo de capacitação estão inscritas num plano global dirigido a todas as RB, e destinam-se aos técnicos, administradores, comunidades, e promotores da economia local. Visam corresponder aos interesses e expetativas das RB e serão asseguradas pela Quaternaire Portugal, Instituto Pedro Nunes e pelas universidades envolvidas, com o apoio das 3 cátedras UNESCO e pelo sistema científico e tecnológico que será chamado a colaborar em iniciativas complementares.

A abordagem proposta no domínio da capacitação visa melhorar as competências e as práticas de gestão e cooperação das RB, individualmente e em rede, e ligadas a domínios suscetíveis de impulsionar a economia local, desde o turismo sustentável ao empreendedorismo, com a valorização e promoção dos recursos endógenos dos territórios.

COMUNICAÇÃO
o digital como ferramenta de gestão e comunicação
  • Apresentação, valorização e promoção das RB no seu conjunto;

  • Utilização dos meios e canais digitais para dinamização da gestão, do turismo, da conservação da natureza, do empreendorismo, da economia local, da investigação, da ciência aberta e cidadã, da história, da memória, do património e das identidades;

  • Em sintonia com a estratégia e o plano de comunicação, potenciar a capacitação e o conhecimento, tornando mais visível e operacional o desígnio de laboratório vivo de sustentabilidade.

O plano global de comunicação proposto para as RB nacionais, visa o reforço da sua visibilidade e uma articulação mais eficaz das iniciativas de promoção da rede de RB, e o fomento das oportunidades de cooperação nacional e internacional.

 

Propõe-se um plano de sensibilização dirigido às populações e aos atores de desenvolvimento local com relevância nas RB que no sector escolar se corporiza nas Olimpíadas Nacionais das Reservas da Biosfera complementado pela criação dos cuidadores das RB. A enorme experiência da coordenação do projeto assegura uma maior visibilidade e presença das RB portuguesas na rede Mundial de RB da UNESCO por via da cooperação com a Noruega e Islândia, a IberoMAB e CPLP, e com a participação ativa de vários peritos internacionais.