Buscar

10 anos depois, Santana e Berlengas revalidam a sua classificação de Reservas da Biosfera

10 anos depois da designação destas duas Reservas da Biosfera, Santana (Madeira) e Berlengas voltam a consolidar o seu papel na biodiversidade e desenvolvimento sustentável na rede nacional e mundial de Reservas da Biosfera da UNESCO.


A avaliação e a revalidação das Reservas da Biosfera é uma exigência do Programa MaB, que garante que o rigor e a autenticidade desta classificação resistem à passagem do tempo. Analisadas as Reservas da Biosfera de Santana e Berlengas, ficaram comprovadas que as suas dinâmicas de atividade humana e desenvolvimento socioeconómico interagem de forma sustentável com a conservação e a valorização do património natural e cultural, com a inovação, a investigação e a sensibilização ambiental.


Após o parecer positivo do Comité Nacional MaB aos Relatórios de Revisão Periódica destas duas Reservas, o Conselho de Coordenação Internacional (CCI) assegurou a sua continuidade.


______________________________________________________________________________


Porquê?

Nos últimos 10 anos da Reserva da Biosfera das Berlengas, a atividade económica mudou substancialmente, com um aumento e rejuvenescimento dos diversos atores envolvidos, nomeadamente na atividade de Turismo de Natureza, nos serviços de restauração e alojamento, na pesca artesanal e na apanha de marisco.

Na Reserva da Biosfera de Santana (Madeira), regista-se um crescente interesse pelas questões ambientais, em particular pela conservação da natureza e biodiversidade, resultante de uma maior divulgação, intensificação das atividades de educação ambiental por parte das escolas e de uma maior disponibilização de conhecimento científico. Constata-se uma maior proximidade e interesse por parte do sector socioeconómico em relação às questões ambientais, designadamente no turismo e na agricultura.

______________________________________________________________________________



A 34.ª sessão do Conselho de Coordenação Internacional do Programa MaB, a decorrer na sede da UNESCO, em Paris, até dia 17 de junho, é um momento de importante reflexão sobre as atividades e projetos desenvolvidos nas Reservas da Biosfera, mas também para programar e fixar objetivos para a próxima década.


Em Portugal, continuamos, assim, com 12 territórios designados como Reserva da Biosfera da UNESCO: 6 no continente (Boquilobo, Geres-Xurês, Tejo internacional, Meseta Ibérica, Castro Verde e Berlengas), 4 no arquipélago dos Açores (Corvo, Graciosa, Flores e Fajãs de São Jorge) e 2 no arquipélago da Madeira (Santana e Ilha de Porto Santo).


Todas elas são excelentes embaixadoras de Portugal numa Rede Mundial que conta com 727 Reservas da Biosfera espalhadas por 131 países, com a visibilidade e a qualidade que a marca UNESCO impõe.