O PROJETO

Reservas da Biosfera.
Territórios Sustentáveis,
Comunidades Resilientes.

O projeto “Reservas da Biosfera. Territórios Sustentáveis, Comunidades Resilientes” assenta na qualidade ambiental dos territórios das RB, em larga medida decorrente do empenho e trabalho realizado pelas entidades responsáveis.


Visa a valorização dos territórios, em estreita articulação com as comunidades, compreendendo os ativos patrimoniais e a promoção dos serviços de ecossistema, apostando no reforço de competências, assumindo uma estratégia de valorização e comunicação assertiva e inovadora, e adotando um modelo de governança exigente e colaborativo.


O projeto teve início em novembro de 2020 e tem uma duração de 30 meses. É financiado pelo EEA Grants 2014-2021, no âmbito do Programa “Ambiente, Alterações Climáticas e Economia de Baixo Carbono” e promovido pela Secretaria-Geral do Ambiente e Ação Climática.


EIXOS E ATIVIDADES

Conhecimento, capacitação
e comunicação

O projeto organiza-se em três eixos prioritários – conhecimento, capacitação e comunicação – articulados de acordo com uma abordagem estratégica coletiva e orientada para a valorização do conjunto dos territórios das Reservas da Biosfera (RB), entendidos como laboratórios vivos de sustentabilidade e modelos da Agenda 2030 e dos seus ODS, visando promover uma maior visibilidade nacional e internacional, e dinamizar um plano de capacitação inovador, abrangente e dirigido à qualidade de vida e prosperidade das comunidades.


O CONHECIMENTO como ferramenta

de transformação social



  • Criação de novas dinâmicas de investigação interdisciplinar (ciências da vida, ciências sociais e humanidades);

  • Disseminação e promoção das RB em ambiente de ciência aberta;

  • Valorização integrada do capital natural através do mapeamento dos serviços dos ecossistemas;

  • Recolha sistemática e registo das memórias das comunidades e sua relação com as atividades associadas ao território.


O racional estratégico dos Planos de Desenvolvimento Sustentável das RB, entendidos como instrumentos de reforço e inovação das estratégias locais de desenvolvimento sustentável, estruturam-se com base nas iniciativas relacionadas com o mapeamento, priorização e valoração dos serviços dos ecossistemas, numa aposta no conhecimento, com o apoio do sistema científico e tecnológico nacional e redes internacionais, incorporando o saber transmitido pelas comunidades.


As iniciativas relacionadas com o registo e valorização das memórias das comunidades e dos territórios, contarão com a participação ativa dos atores locais, e serão fundamentais para fomentar uma maior apropriação identitária – os territórios e os seus recursos -, e gerar oportunidades para a economia local. A valorização da identidade e dos recursos endógenos, numa leitura harmoniosa e sinérgica do Homem (cultura) e da Natureza, garante a promoção efetiva dos valores percecionados pelas comunidades e pelos agentes económicos.


CAPACITAÇÃO

a formação como ferramenta de capacitação



  • Ajustada aos interesses dos diferentes atores (gestores, promotores da economia local);

  • Orientada para a expetativa e interesse das comunidades e entidades locais;

  • Estratégica na promoção do empreendorismo de base local e de apoio ao desenvolvimento integrado dos territórios;

  • Demonstrativa no desenvolvimento e na monitorização de ações-piloto de economia e comércio local e promoção turística das RB.


As iniciativas associadas ao eixo de capacitação estão inscritas num plano global dirigido a todas as RB, e destinam-se aos técnicos, administradores, comunidades, e promotores da economia local. Visam corresponder aos interesses e expetativas das RB e serão asseguradas pela Quaternaire Portugal, Instituto Pedro Nunes e pelas universidades envolvidas, com o apoio das 3 cátedras UNESCO e pelo sistema científico e tecnológico que será chamado a colaborar em iniciativas complementares.


A abordagem proposta no domínio da capacitação visa melhorar as competências e as práticas de gestão e cooperação das RB, individualmente e em rede, e ligadas a domínios suscetíveis de impulsionar a economia local, desde o turismo sustentável ao empreendedorismo, com a valorização e promoção dos recursos endógenos dos territórios.


COMUNICAÇÃO

o digital como ferramenta de gestão e comunicação



  • Apresentação, valorização e promoção das RB no seu conjunto;

  • Utilização dos meios e canais digitais para dinamização da gestão, do turismo, da conservação da natureza, do empreendorismo, da economia local, da investigação, da ciência aberta e cidadã, da história, da memória, do património e das identidades;

  • Em sintonia com a estratégia e o plano de comunicação, potenciar a capacitação e o conhecimento, tornando mais visível e operacional o desígnio de laboratório vivo de sustentabilidade


O plano global de comunicação proposto para as RB nacionais, visa o reforço da sua visibilidade e uma articulação mais eficaz das iniciativas de promoção da rede de RB, e o fomento das oportunidades de cooperação nacional e internacional.


Propõe-se um plano de sensibilização dirigido às populações e aos atores de desenvolvimento local com relevância nas RB que no sector escolar se corporiza nas Olimpíadas Nacionais das Reservas da Biosfera complementado pela criação dos cuidadores das RB. A enorme experiência da coordenação do projeto assegura uma maior visibilidade e presença das RB portuguesas na rede Mundial de RB da UNESCO por via da cooperação com a Noruega e Islândia, a IberoMAB e CPLP, e com a participação ativa de vários peritos internacionais.


Ações e Resultados


Ações:



  • 12 Planos de Desenvolvimento Sustentável

  • 12 Ações piloto

  • Metodologias de planeamento participativo

  • Sistema de indicadores de Desenvolvimento Sustentável

  • Plano de monitorização

  • Plano de Comunicação e estratégia de marketing

  • Plano e ações de sensibilização

  • Guias, manuais, roteiros




Resultados Esperados:



  • Valorização do conjunto dos territórios das RB e das suas comunidades;

  • Reforço de competências de gestão e desenvolvimento;

  • Promoção de uma maior visibilidade nacional e internacional;

  • Capacitação inovadora, abrangente e dirigida à qualidade de vida e prosperidade das comunidades;

  • Criação e desenvolvimento de plataformas digitais de comunicação e interação entre as RB com as populações e público em geral;

  • Presença e afirmação das RB portuguesas no contexto internacional e na cooperação com os países da CPLP.


Eventos

  • 01 Junho, 2024 RB das Berlengas

    Berlengas: Um tesouro e um laboratório natural a conservar

    No próximo dia 1 de junho, vamos viajar às Berlengas, declarada em 2011 como Reserva Mundial da Biosfera pela UNESCO.
    Berlengas: Um tesouro e um laboratório natural a conservar
  • 14 Maio, 2024 a 29 Maio, 2024

    Auscultação Pública sobre o Dossier de Candidatura da Arrábida a Reserva da Biosfera

    Workshop
    A AMRS – Associação de Municípios da Região de Setúbal, em conjunto com municípios de Setúbal, Palmela e Sesimbra e o ICNF - Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas promovem entre 14 e 29 de maio, um período de Auscultação Pública sobre o Dossier de Candidatura da Arrábida a Reserva da Biosfera.
    Auscultação Pública sobre o Dossier de Candidatura da Arrábida a Reserva da Biosfera
  • 28 Setembro, 2023

    Seminário: “Reservas da Biosfera: Territórios Sustentáveis, Comunidades Resilientes”

    Encontro
    Quais são os principais desafios que hoje se colocam às Reservas da Biosfera nacional e internacional? Este será um dos temas a refletir no seminário final do projeto: "Reservas da Biosfera: Territórios Sustentáveis, Comunidades Resilientes", que vai decorrer no auditório do Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa, a 28 de setembro.
    Reservas da Biosfera Seminário Final
  • 19 Setembro, 2023

    Ação de formação “Metodologias Participativas nas RBp”.

    Formação
    Sabia que a metodologia participativa pode ser uma excelente ferramenta para captação e envolvimento das comunidades no seu projeto?
    Ação de formação “Metodologias Participativas nas RBp”.

A Equipa


O projeto reúne uma ampla equipa multidisciplinar das Universidades de Coimbra e NOVA de Lisboa, do Instituto Pedro Nunes, da Ordem dos Biólogos e da KEEP – Associação para a Paz, as Pessoas e o Planeta, tendo a Quaternaire Portugal como entidade promotora.


 


 


Inclui ainda parceiros institucionais dos países doadores, como a única Reserva da Biosfera da Noruega, a Universidade de Bergen, com a sua cátedra UNESCO, e a Comissão Nacional da UNESCO da Islândia.


EEA Grants


Através do Acordo sobre o Espaço Económico Europeu (EEE), a Islândia, o Liechtenstein e a Noruega são parceiros no mercado interno com os Estados-Membros da União Europeia.


Como forma de promover um contínuo e equilibrado reforço das relações económicas e comerciais, as partes do Acordo do EEE estabeleceram um Mecanismo Financeiro plurianual, conhecido como EEA Grants.



 


Os EEA Grants têm como objetivos reduzir as disparidades sociais e económicas na Europa e reforçar as relações bilaterais entre estes três países e os países beneficiários.


Para o período 2014-2021, foi acordada uma contribuição total de 2,8 mil milhões de euros para 15 países beneficiários. Portugal beneficiará de uma verba de 102,7 milhões de euros.


Cookie Consent with Real Cookie Banner